O RNOD


ACESSO DIRETO A 150.000 RECURSOS DIGITAIS DE BIBLIOTECAS PORTUGUESAS

O Registo Nacional de Objetos Digitais - RNOD constitui-se como um ponto central de acesso e partilha do património bibliográfico nacional digitalizado.

O RNOD é um agregador de conteúdos digitais e digitalizados disponibilizados em rede por entidades portuguesas, que visa a coordenação e difusão desses recursos, a nível nacional e internacional, designadamente através do Portal Europeana e outros congéneres.

ÂMBITO E CONTEÚDOS

O sistema RNOD, gerido pela Biblioteca Nacional de Portugal, é um agregador sectorial, no sentido em que está principalmente vocacionado para conteúdos de acervos de bibliotecas ou de outras organizações detentoras de materiais bibliográficos, cobrindo espécies manuscritas e publicações de tipologias variadas:


Livros

 22,2%

Cartografia

3,4%

Música (partituras)

2,0%

Iconografia

34,2%

Multimédia

0,6%

Registos sonoros

0,1%

Objetos

33,9%

Publicações periódicas

4,4%


O RNOD é o agregador nacional para a Europeana, assegurando a normalização dos formatos e metadados de cada participante e a sua inclusão na Europeana de acordo com as diretrizes e procedimentos estabelecidos, sem tarefas ou custos. A participação na Europeana, para além de proporcionar um crescimento em número de acessos, reforça substancialmente a internacionalização das instituições portuguesas e a promoção da nossa cultura.


OBJETIVOS

Nas suas funções de repositório e agregador, o RNOD proporciona aos seus parceiros:

  • Um ponto de acesso único a cerca de 150.000 recursos digitais, utilizável pelos profissionais e público em geral;
  • A inclusão desses recursos na Europeana aumentando assim, a sua acessibilidade e visibilidade;
  • Uma visão global das iniciativas de digitalização de coleções bibliográficas e afins, em Portugal, permitindo registar quer informação sobre objetos digitalizados quer intenções de digitalização;
  • A disponibilização da informação que permite evitar a duplicação de investimentos no que respeita à digitalização de publicações impressas;
  • Um ambiente de colaboração profissional para desenvolvimento de comunidades de interesse e de boas práticas de digitalização;
  • Flexibilidade de participação, integrando metadados provenientes de variados sistemas e linguagens.